Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O meu Mundo:-)

O meu Mundo:-)

De volta!

floreca, 22.07.04

solsorriso.jpg


Os blogs estão a funcionar de novo, finalmente!
Estiveram estragados por pouco mais de 24 horas, mas fizeram falta!
Andámos todos por aqui a querer comentar, a querer brincar uns com os outros... e nada!
Estava tudo em branco, escreviamos e nada aparecia...
Será que isto é mesmo um vício? Ou apenas uma forma de passar o tempo... sem a qual já não podemos passar?
Eu gosto de andar por aqui. Para além de escrever o que me vai na alma, gosto da brincadeira que tantas vezes aqui surge...
Para já, estamos todos de volta:-)

Bom dia:-)

floreca, 20.07.04

Tenho tido uns dias de descanso, que bem me têm sabido.
Tenho andado ocupada com algumas tarefas da escola, mas em ritmo bem mais leve que o de há uns dias atrás. A partir de hoje vou retomar o trabalho, mas como vou fazer algo de que gosto, não me queixo!
Tenho passado os meus dias a passear, ver televisão (como já há muito não me lembrava de fazer), a dormir, a escrever... tudo sem horas, já que estou sozinha em casa.
Não seria capaz de estar assim por muito tempo, mas depois do ritmo acelerado com que andei há algumas semanas atrás, é aquilo que realmente me sabe bem!
Agora só me falta começar a fazer praia, que o tempo tem estado muito bom...
Um bom dia para todos:-)

Reencontro

floreca, 20.07.04
width=250 align=left hspace=5>Reencontrei-te numa noite qualquer, num qualquer local.
Os nossos olhos cruzaram-se, as nossas almas prenderam-se...
As palavras que saíam dos nossos lábios depressa se tornaram beijo... um beijo de saudade, um beijo de desejo... um beijo e depois outro...
As nossas mãos perderam-se na urgência de se unirem...
Procurámos abrigo para os nossos corpos ardentes, ansiosos por voltarem a ser um só...
Inventámos desejos, descobrimos prazeres...
Fomos entrega, fomos loucura...
Num abraço repousámos, num olhar vimos o amanhecer...


Escrevi isto para o Levemente erótico, mas hoje resolvi colocá-lo aqui, que é o cantinho onde gosto de guardar aquilo que vou fazendo...

um momento

floreca, 19.07.04
width=250 hspace=10 align=left>
align=center>fecho os olhos
mergulho num sonho...
lembro o teu olhar
o teu cheiro
o sabor da tua pele
reinvento o teu beijo
os teus dedos suaves
no meu corpo
sinto o teu desejo
e o meu
misturados
saciados...
és meu, sou tua
num momento
perdido no tempo

When a man loves a woman

floreca, 17.07.04
align=left hspace=5>align=justify>Acabei agora de rever este filme, com a Meg Ryan e o Andy Garcia.
Ao vê-lo, pensei bastante. Pensei, por exemplo, até onde podemos ir se realmente amamos alguém.
Pergunta difícil, tenho a certeza.
Ou será que é tão fácil por ser tão óbvia?
Se realmente amamos, não há limites...
Mas quantas vezes pensamos que é amor, se o que existe é desejo e amizade?
E, se é amor, até que ponto o podemos silenciar, em nome de outros valores?

Escrever o quê?

floreca, 16.07.04

Hoje não sei bem o que escrever.
Lembrei-me de escrever uma carta... mas não seria para enviar.
Pensei escrever sobre ausências... mas de certeza que ía magoar alguém.
O que não seria novidade, diga-se.
Podia escrever sobre esse hábito terrível que eu tenho, de magoar as pessoas de quem gosto... mas depois do mal feito, de nada serve.
Podia falar de dúvidas e incertezas que nos levam a tomar decisões absurdas.
Podia escrever sobre vários tipos de amor e da forma como podem existir em simultâneo.
Podia explicar como é possível amar duas pessoas ao mesmo tempo.
Mas hoje as palavras só saem aos bocados, sem nexo.
Ou talvez seja eu, que apenas não sei muito bem o que quero...


só amar, não chega

floreca, 15.07.04

Cântico IV
Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.

Cecília Meireles
(deixado pela Violeta nos comentários)


Todos temos medo ao pensar que pode acabar o que nos traz alguma felicidade, mesmo que pouca.
Sentir que há alguém que nos ama, que se preocupa connosco, que nos enche de carinho... é das melhores coisas que temos na vida.
Mas o amor não pode ser, eternamente, feito de palavras.
Quando se ama, há entrega, há partilha.
O amor não pode ser egoísta...